domingo, 23 de junho de 2019

Quando os Beatles deixaram de ser Silver



Há uma reportagem circulando, com origem na Wirral News sobre um fã dos Beatles que supostamente resolveu o mistério de quando os Beatles decidiram abandonar o prefixo "Silver" do seu nome.

Ken Harrison - gerente do Grosvenor Ballroom em Liscard, Wallasey - estava a mexer nuns recortes de jornais antigos, nomeadamente do Wallasey News escondidos numa das suasa gavetas, quando uns pequenos anúncios atraíram a sua curiosidade. 

Nesses anuncios constava que numa segunda-feira de Pentecostes, a 6 de Junho de 1960, os fabulosos Silver Beetles, que participavam numa tourné com Jonny Gentle, fizeram duas actuações  com Gerry e os Pacemakers.

Reparou ainda que na noite do sábado seguinte, 11 de Junho de 1960, o Grosvenor Ballroom anunciou uma sessão de "swing" com um novo grupo que estava a causar grande reboliço e que se chamavam, simplesmente  The Beatles.


Ora Robin Bird, fã dos Beatles, tinha afirmado: 
Os historiadores disseram que os Silver Beatles mudaram o seu nome para simplesmente The Beatles quando partiram para Hamburgo em 16 de Agosto de 1960, iniciando um novo capítulo na sua incrível carreira musical.

No entanto, a partir destes recortes antigos, descobertos e revelados por Ken Harrison, é notório que a banda mudou o seu nome antes daquela data, quando tocaram no Grosvenor Ballroom. Ken já ampliou os anúncios emuoldurou-os e pendurou-os na parede do seu bar.

No entanto, há uma discrepância no final do artigo, que diz: Violência no Grosvenor pôs fim às performances dos Beatles .

Aconteceu que eles retornaram as actuações no Grosvenor Ballroom em 15 de Setembro de 1960, fazendo a sua primeira aparição desde a sua turnê na Alemanha. 
Os bilhetes de entrada eram a 4  Pence e os Beatles actuaram ás 7.45pm seguidos por Cliff Roberts & The Rockers


Foi provavelmente em 1961.

Os Beatles apresentaram-se no Grosvenor Ballroom em 14 ocasiões entre Junho de 1960 e Setembro de 1961. As datas eram 4, 6, 11, 18 e 25 de junho; 2, 9, 16, 23 e 30 deJulho; 24 de Dezembro de 1960; 24 de Fevereiro; 10 de Março; e 15 de Setembro de 1961.

Outra coisa é que Johnny Gentle, que excursionou pela Escócia com os "Silver Beatles" ou "Silver Beetles" em Maio de 1960, lembra que eles foram apresentados no palco simplesmente como "The Beatles", então a mudança de nome pode ter ocorrido ainda mais cedo.

Allan Williams, seu empresário daquele verão, nunca conseguiu escrever o nome certo, escrevendo sempre errado como "Beetles" e também misturou os seus nomes próprios, esquecendo-se frequentemente qual deles era o Paul, o George ou o John.


No documentário Beatles Anthology, Paul Mc Cartney contou algumas estórias desses dias.

"O Grosvenor Ballroom em Wallasey era um dos piores lugares; havia cem rapazes Wallasey enfrentando cem rapazes de Seacombe e local transformava-se rápidamente num inferno incontrolável. Lembro-me que uma noite ouvi um grande estrondo uma grande algazarra e tudo começou á pancada que eu percebesse o que estava a acontecenr. Corri para o palco para salvar o meu amplificador Elpico, o meu orgulho e grande alegria na época.Havia punhos voando por toda a parte.Um Ted agarrou-me e disse: 'Não te mexas, senão és um homem  morto! Estava com um medo de morte, mas tive que salvar o meu amplificador ".

Salvou também esta setlist de Grosvenor Ballrom, possivelmente de 1960, escrita por Paul:


domingo, 16 de junho de 2019

Os Beatles & Bowie concordam: Os Merseybeats são Fab!


A aparição dos Beatles no show de Ed Sullivan em 9 de Fevereiro de 1964, vista por cerca de 73 milhões de pessoas (!), Foi um momento memorável na história da música popular e, de facto, da cultura popular global. O mundo nunca mais seria o mesmo. Além disso, Ed Sullivan começa um novo capítulo, totalmente imprevisto, na "relação especial" entre os povos da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos da América.
Seguindo o trajecto dos impressionantes triunfos dos Beatles e a colonização virtual dos corações e imaginações de toda uma geração de batalhões de jovens americanos dos grupos britânicos começaram a fazer as malas e olharam sonhadores para os seus atlas enquanto imaginavam como seriam as lendárias cidades de Nova York, Chicago e San Francisco. Poderia ser verdade, que eles estavam a caminho de lá e que, quando chegassem, seriam recebidos por hordas de lindas jovens mulheres, celebradas por seus soturnos sotaques e enfeitadas como membros de uma invasão totalmente bem-vinda?
Para alguns como os Rolling Stones e The Who, cabeças do pelotão da Invasão, esse era de fato o cas, e eles continuariam no meio século seguinte para seguirem carreiras célebres agora comemoradas em DVDs, Box Sets e turnês épicas de criação de mitos. Mas enquanto os generais e oficiais de equipe de qualquer exército sempre agarram a maior parte da glória e das manchetes, outros nas fileiras - os regulares, a infantaria ferida nos pés, às vezes também têm seu (s) momento (s) passageiro (s) ao sol.
Hoje mostro Os Merseybeats  grupo que tocou centenas de vezes no lendário clube Cavern de Liverpool no início dos anos 60, alternando como headliners com os Beatles. Em muitos aspectos, eles eram como irmãos mais novos dos Beatles - compartilhando seus entusiasmos, se não o carisma e a profundidade do talento dos Fab Four.

No entanto, eles gravaram um tema clássico em 1966, "Sorrow". Tanto os Beatles quanto David Bowie gostavam do grupo e, "Sorrow" em particular. Os Beatles citaram directamente a canção em 'It's All Too Much' e o ex-fã do clube Bowie teve um sucesso substancial com sua versão às vezes aclamada, às vezes comovente, inteiramente de Bowiesque, que apareceu no seu álbum de covers dos anos 70, ‘Pin Ups’.
A versão dos Merseys, em baixo, sugere que a beleza inalcançável, a saudade do amante com os longos cabelos loiros e os olhos azuis, pode muito bem não ser um anjo, mas a filha do Diabo e a causa de uma tristeza duradoura também. como alegria momentânea. Ou então parece tão freqüentemente nas imaginações superaquecidas dos adolescentes, emocionalmente imaturos, devastados por hormônios! Mais tarde, rejeitado, o jovem pode perceber que pensar em seu destino pode ser um prazer ilícito por si só e continuar, "tristeza" e outra vez até que o próximo amor de sua vida apareça.
Os vocais charmosos e rabugentos são da dupla chave do Merseybeats  Tony Crane e Billy Kinsley, que também tocaram solo e ritmo. A gravadora garante-nos que a faixa foi produzida por Kit Lambert (então agente dos  Who) embora eu esteja inclinado a ouvir mais profundamente a influência de John Paul Jones (mais tarde famoso pelo Led Zeppelin) que tocou guitarra baixo e fez os arranjos dos metais .
O grande Clemente Anselmo Arturo 'Clem' Cattini, o decano dos bateristas do Reino Unido, toca bateria com a experiência profissional que ele deixou em mais de 40 singles britânicos número 1. 'Sorrow' assumirá residência permanente na sua memória musical. Eu gostaria de apresentar mais duas músicas para ilustrar o valor da banda. Primeiro, os Merseybeats vendendo em 1964 milhões de baladas, com o"I Think Of You", que além do já mencionado Crane e Kinsley, tem Aaron Williams na guitarra e o falecido John Banks atrás da bateria.
Este swooner com a sua figura de guitarra atraente foi certamente destinado a jogar como a bola de espelhos espalhou seu glamour temporário indiscriminado sobre pistas de dança locais. Talvez muitos dos dançarinos como esta canção pensaram, 'aquele que escapou', mesmo quando eles seguravam perto o que eles estavam dançando naquela noite. O registro é contido e contente nos envolve em angústia satisfatória. Finalmente, um desempenho mais dramático e pesado a partir de 1965, sua versão de Tony Colton e o magnífico cri de couer de Ray Smith, "I Stand Accused" (mais tarde uma versão electrizante e emocionante de Elvis Costello). Tony Colton, como herói secreto da cena musical do Reino Unido, apresentará mais tarde nesta série.

O desempenho acima revela é um lado totalmente mais corajoso e mais suado dos Merseybeats. Isto, certamente, é como eles teriam soado na escuridão do The Cavern enquanto a multidão, além da capacidade, os encorajava a cantar em coro antes que todos precisassem parecer inseguros.
Poucos tomes com notas brilhantes serão escritos sobre os Merseybeats, mas eles certamente deixaram sua marca na paisagem musical dos anos 60 e, com 'Sorrow', essa marca provavelmente será indelével.
Notas: A versão original de 'Sorrow' foi escrita e produzida em 1965 num folk-rock nebuloso pelo time de Bob Feldman, Jerry Goldstein e Richard Gottehrer para The McCoys, que contou com Rick Derringer. Feldman, Goldstein e Gottehrer emitiram discos sob o nome The Strangeloves, incluindo o rock da garage, 'I Want Candy'.