quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Wando, morreu...apagou-se a luz a estrela, a manhã de sol, meu iaia, meu ioio


O cantor Wando morreu nesta quarta-feira, 8 de Fevereiro, aos 66 anos, em consequência de uma paragem cardíaca. 

Wando nasceu em Cajuri, Minas Gerais, no dia 2 de Outubro de 1945. O cantor lançou Gloria a Deus e Samba na Terra, o seu primeiro disco, em 1973. Conhecido pelo hábito de coleccionar "calcinhas" – nos seus shows, das fãs que costumavam atirar essa peça de roupa para o palco –, o cantor chegou a estudar violão clássico, mas atingiu o sucesso com hits populares, entre eles “Fogo e Paixão”, do disco Moça, que vendeu 1,2 milhão de cópias. O seu último disco de inéditos, Romântico Brasileiro, Sem Vergonha, foi lançado em 2005.

Wando estava internado no hospital Biocor, em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte (Minas Gerais/BR), desde o último dia 27 de Janeiro. O coração de Wando parou por volta das 8h. Foram realizadas manobras de ressuscitação, mas ele não resistiu. De acordo com a nota divulgada pelo hospital e também assinada pela família do cantor, teve um agravamento do quadro clínico durante a madrugada.
O cantor deu entrada no hospital em 27 de Janeiro para a realização de um cateterismo cardíaco, devido a uma angina (dores no peito causadas por falta de sangue no músculo cardíaco). No sábado, 28, foi submetido a uma angioplastia coronária de emergência para desobstrução de artérias do coração. A família do cantor chegou a divulgar um comunicado declarando que apesar da gravidade do caso, Wando melhorava gradualmente. No último domingo, dia 5, o cantor enviou aos fãs um bilhete, através da equipe da TV Globo, em reportagem apresentada no Fantástico

"Eu estou na oficina de Deus arrumando a turbina. Me aguardem!". 

Especialistas apontavam que caso o cantor mantivesse o quadro de melhora, poderia ser transferido para o quarto nos próximos dias. Na terça, 7, Wando estava lúcido e comunicava-se por sinais. Infelizmente, não resisitiu. Paz á sua alma.

Fonte: RS, Brasil

1 comentário:

Mário Lima disse...

Vicky

referir aqui o Wando não me dizia muito até que cheguei ao «Fogo e Paixão» e vi-me a trautear a música.

Só por isso, porque algo fica dele, mesmo a quem não seguia a carreira do Wando como é o meu caso, ficará eterno pela manhã de sol que nos deixou.

Abraços!