segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Pete, you're out.

Pete Best, George, Paul e John
A forma como o empresário Brian Epstein "despachou" o baterista Pete Best, substituindo-o por Ringo Starr, foi historicamente, e como o próprio guitarrista George Harrison dizia, uma "grande maldade". Afinal, foi a partir da entrada de Pete, em Agosto de 1960, que a banda alcançou o estatuto de ser a melhor do Mersey Beat, de Liverpool ,e conseguiu o seu primeiro contrato de gravação com a EMI-Parlophone. Dizem que o produtor George Martin não gostou da batida do baterista. Dizem que Paul McCartney não simpatizava com Pete, e começou a "fazer campanha",para que ele fosse substituído. Conta-se também, que Epstein era apaixonado por Pete e, sem correspondência, vingou-se. Seja como que for, em 16 de Agosto de 1962, o baterista,foi chamado ao escritório de Brian Epstine, que sem grandes explicações,o pôs fora da banda. Um simples,-"Pete,you're out". E pronto. Passou da porta da fama e do sucesso, para as "traseiras "de uma carreira sem par.Só não ficou no anonimato, porque entrou na galeria dos perdedores, doa azarados, dos enteados da mãe sorte...
Quando a beatlemania explodiu, e o quarteto,ficou milionário, em 1964, Pete começou, a ter problemas do foro psíquico, culminando com uma tentativa de suicídio no ano seguinte, fechando-se num dos quartos de sua casa e abrindo o gás. O irmão é que o salvou. Curiosamente, naquela época, os Beatles lançavam, o filme "Help!" - "Socorro!"...
Mais tranquilo, casado e com uma filha, Pete trabalha desde 1969 numa agência pública de empregos, em Liverpool.
"Passei a viver o que podemos chamar de uma vida normal: ir para o trabalho, voltar, sair para tomar uma cerveja, coisas assim", conta. "Mas, lá no fundo, ainda existe aquela sensação: 'Meu Deus, se eu tivesse continuado com eles!'. Hoje, penso que não faz diferença.'. E vou fazendo afinal, todas essas coisas normais que todos fazem", acrescenta.
Numa entrevista dada ao site Geneton, Brasil, em 2007, Pete contou a um repórter brasileiro o que aconteceu quando recebeu a notícia de sua exclusão dos Beatles.Vamos aqui recorda-la.
Aparentemente, ficou sem entender, pois o ambiente,era bom entre eles.
"Bem na época da minha saída, nós estávamos todos bebendo juntos e parecíamos os melhores amigos do mundo", recorda o ex-baterista. E se foi bebendo que ele conversou com John, Paul e George pela última vez, foi também nos bares, naturalmente, que tentou afastar o atordoamento. Eis, o trecho em que ele fala sobre esse dia fatídico:
Geneton - Qual a sensação que ficou, desde o dia em que recebeu a notícia de que já não era um beatle? Deve ter sido um dia doloroso...
Pete Best - Não chegou a ser exactamente, porque foi como se uma bomba caísse na minha cabeça, assim, de repente. Só no dia seguinte é que tudo começou a entrar na minha cabeça, quando entendi que tinha acabado. Já era. É aí que a dor começa. Não há maneira de fazer o "reverse", de voltar. Aquele dia terminou transformando-se ,no dia mais doloroso, da minha vida, no dia em que tudo mudou. Tive outros tempos duros, desde então. Mas aquele foi o dia que mudou todo o curso de minha vida. Lembro-me bem. Era Agosto de 1962.
Geneton - O "Times" recontou a história há pouco tempo. Você foi a um pub beber umas cervejas...
Pete Best -
Umas? Muitas! (ri). Eu tinha acabado de falar com Brian Epstein, às 10 e meia da manhã. Um amigo meu estava á minha espera do lado de fora. Recebi a notícia de que tinha saído dos Beatles e sai. O meu amigo notou algo diferente. Perguntou: "o que foi que houve?". Eu disse: "Saí! Não sou mais um beatle!". Ele respondeu: "Meu Deus! Não pode ser verdade! O que é que aconteceu?" Eu disse: "Tudo o que quero fazer é tomar uma cerveja, enterrar a minha cabeça!". Fomos para um pub. Emborcá-mos umas quantas cervejas. Chegou uma altura. em que disse disse: "Ok! Vamos para casa!". Quando fui para casa é que senti a pancada. E comecei a chorar. Chorei a noite inteira. É o tipo do choque de efeito retardado. Bem aí é que entendi: tudo tinha acabado.

Hamburgo, Alemanha. Da esquerda para a direita: Stuart Sutcliffe (baixista, que morreria em 1962), John Lennon, Helmut, George Harrison, Paul McCartney e Pete Best.

Sem comentários: