quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

The Shadows, a sombra de Hank Marvin

Parece que muita gente, e gente de muito talento, gastou a sua infância e a mais tenra juventude na companhia e na sombra dos Sombras (The Shadows).
Reza a lenda que Jeff Beck, Jimmy Page, Pete Townshend, Blackmore, Clapton e muitos mais passaram as tardes trancados nos seus quartos imitando os solos de Hank Marvin.
Copiavam nota a nota, numa verdadeira escola prática de guitarra. Também,com aquele fog Londrino, não dava mesmo jeito nenhum, andar a passear por Picadilly Circus, ou visitar a Ecrã inteiro
St. Stephen's Tower no Palace of Westminster. Então aproveitavam o tempo em algo bem mais produtivo.
Em 1958 Cliff Richard era uma espécie de Elvis inglês, o rei do rock pop, e fazia sucesso atrás de sucesso, acompanhado pelos The Drifters, que pra não serem confundidos com o grupo de R&B americano com esse mesmo nome,mudaram o seu para The Shadows, numa piada explícita á sua condição de sombras do Cliff.
Em 1960 resolveram aventurar-se numa carreira instrumental e colocaram um tema delicioso chamado "Apache" em primeiríssimo lugar nos hit parades mundiais e, que se viria a tornar no tema mítico dos solos de guitarra.
Formado pelas guitarras de Hank Marvin (solo) e Bruce Welch (ritmo) mais Terry "Jet" Harris no baixo e Tony Meham na bateria, The Shadows era uma aula de simplicidade com riffs estridentes e inovadores, e os solos estupendamente cristalinos de Hank Marvin. Era água de cascata, pai e mãe da surf music e de tudo que veio depois.Não tem distorção, não tem escalas estratosféricas, só um "uila ula" deslizante, onde os arpejos e solinhos deliciosos de Marvin fazem pensar que até é fácil tocar aquilo.
Em 1997 comprei um disco que tinha sido lançado recentemente chamado "Twang! A tribute to Hank Marvin & The Shadows", onde inúmeros fãs (e que fãs) prestavam, cada um com o seu estilo, as suas sinceras homenagens à influencia do mestre.
Vejam só o cartaz:
Ritchie Blackmore - "Apache"
Brian May - "FBI"
Tony Iommi - "Wonderful Land"
Steve Stevens - "The Savage"
Hank Marvin - "The Rise and Fall of Flingel Bunt"
Peter Green - "Midnight"
Neil Young & Randy Bachman - "Spring is Nearly Here"
Mark Knopfler - "Atlantis"
Peter Framptom - "The Frightened City"
Keith Urban & Stewart Copeland - "Dance On"
Andy Summers - "Stingray"
Bella Fleck & Fleck Tones - "The Strangler"

Pela amostra acima dá pra ver a qualidade dos influenciados. O interessante é que cada um trouxe o seu estilo próprio para os temas já imortalizados pelos Shadows.
Tem desde trovão e tempestade (Tony Iommi), sol mediterrânico (Steve Stevens), uns ventos atravessados (Neil Young) e até um solzinho morno de outono (Knopfler), mas a pegada de Hank Marvin é inconfundível e quando entra sua faixa, "The Rise and Fall of Flingel Bunt" parece que chegou o dono da "chincha", e berrou :
"Com licença, quem joga sou eu!".
Assim como a de Chet Atkins, Scotty Moore, Cliff Gallup e de tantos outros, a guitarra de Marvin foi e ainda é uma bússola para muitos "guitar heroes "e a homenagem é muitas vezes comovente. Faltou o Brian Setzer que é um fã assumido, mas ao ouvir o solo do renascido das cinzas, Peter Green, o coração enche-se de alegria.Twang!A não perder.


2 comentários:

Rato disse...

Este CD encontra-se à venda na Amazon inglesa por 36.44 libras mais portes, uma barbaridade.
Se mo puderes emprestar um dia destes agradeço-te.
Rato

Rato disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.